Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

CINECRÍTICA - 'Château - Paris' revela cotidiano de bairro multicultural da capital francesa

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Divulgação.

Quinta, 22/3/2018 11:09.

ALEXANDRE AGABITI FERNANDEZ
(FOLHAPRESS) - O cinema francês contemporâneo costuma se interessar sobretudo pela vida das classes médias e altas e pela turbulenta realidade da periferia das grandes cidades. Ao abordar o cotidiano dos salões de beleza africanos do décimo distrito de Paris, o primeiro longa-metragem de Modi Barry e Cédric Ido, 'Château - Paris', lança um olhar bem-humorado e cheio de simpatia sobre esse bairro multicultural que também tem indianos, chineses, italianos. Longe dos clichês sobre a capital francesa.

Grupos de imigrantes africanos, formados exclusivamente por homens muitas vezes em situação irregular, abordam a clientela feminina que sai da estação de metrô Château d'Eau -daí o título do filme- oferecendo os serviços dos salões. A batalha pelas clientes é acirrada, prato cheio para intrigas, discussões, ciúmes e alvoroços.

O chefe de um dos grupos é o carismático Charles (Jacky Ido), que procura cativar as potenciais clientes com uma conversa gentil e pausada.

Seus rivais não primam pela sutileza: posam de espertalhões e preferem tagarelar ruidosamente, soltando galanteios de vez em quando. Charles se destaca também pela indumentária, pois está sempre muito bem vestido -gosta de se apresentar dizendo "Charles, como o príncipe"-, enquanto os outros andam de bermudas ou agasalhos esportivos.

Essa pitoresca galeria de tipos bem caracterizados em que cada um tem um sonho se completa com as cabeleireiras, os donos e donas dos estabelecimentos, a charmosa Sonia (Tatiana Rojo) -que quer introduzir novos produtos nos salões-, e o barbeiro curdo Mawad (Zirek Ahmet) -que faz poemas para suportar o exílio-, cuja barbearia Charles gostaria de comprar.

Despretensiosa e sem grandes tensões, a trama se ramifica em várias histórias paralelas que o roteiro não se preocupa em amarrar ou desenvolver. Essa limitação não dá profundidade ao relato, mas ajuda a instalar um tom de crônica que se revela decisivo para captar de modo convincente a singularidade desse microcosmo.

A autenticidade dos personagens -vividos por atores profissionais e por gente do bairro- e o fato de a filmagem ter sido feita no meio da multidão que circula diariamente pelo bairro, sem fechar as ruas, também contribuem para o resultado.

CHÂTEAU-PARIS (LA VIE DE CHÂTEAU)
ELENCO Jacky Ido, Tatiana Rojo, Jean-Baptiste Anoumon, Felicite Wouassi, Zirek Ahmet
PRODUÇÃO França, 2016, 14 anos
DIREÇÃO Modi Barry e Cédric Ido
AVALIAÇÃO Bom 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Saúde

Dia D será 12 de maio, um sábado, com mais postos de vacinação abertos 


Geral

Prefeitura adotou novas regras em alguns setores. São esperadas 160 mil pessoas.


Esportes

Saída às 14h. Vila da Regata ficará aberta até às 18h.   


Cultura

Estreia será neste domingo, dia 22


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade