Jornal Página 3
Colunistas
por Fabi Langaro Loos
por Sonia Tetto
por Saint Clair Nickelle
por Augusto Cesar Diegoli
por Enéas Athanázio
Saúde

PA da Barra e UPA do Nações fazem parte do mesmo pacote 


Variedades

Evento acontece em setembro


Geral

Brasil fora do radar dos jovens qualificados que buscam empregos 


Equilíbrio

 Aulas presenciais e turmas pequenas  


Policia


Publicidade

Leia a publicação do Convention Bureau 


Policia

Denúncia falsa levou PMs e abordarem GMs num bar da cidade 


Venezuela repudia declaração de Trump sobre 'opção militar'

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Venezuela rechaçou a declaração recente de Donald Trump contra o regime de Nicolás Maduro.

Nesta sexta-feira (11), o presidente dos Estados Unidos disse que não descarta uma "opção militar" contra o país latino-americano, "se for necessário".

Em resposta, o chanceler venezuelano Jorge Arreaza disse, neste sábado (12), que "rechaça de forma categórica e contundente as declarações pouco amigáveis e hostis" de Trump, que considera uma "insólita agressão".

"As agressões sistemáticas da administração dos Estados Unidos contra a Venezuela representam uma ameaça à paz, estabilidade, independência, unidade territorial, soberania e direito à autodeterminação" de seu país, afirmou Arreaza em evento em Caracas, segundo agências de notícias.

Na sexta, o ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López, já havia afirmado que a ameaça de intervenção é "um ato de loucura" de Trump.

A crise venezuelana se acirrou depois da eleição de uma Assembleia Constituinte, no último dia 30, em uma votação contestada pela comunidade internacional.

Um dia após a eleição, Washington declarou que Caracas é uma ditadura e aplicaram sanções contra o ditador Maduro, a quem acusam de romper a ordem constitucional.

MERCOSUL

O Mercosul também se pronunciou em repúdio ao discurso de Trump. Em nota, o bloco afirma que "os únicos instrumentos aceitáveis para a promoção da democracia são o diálogo e a diplomacia".

"Os países do Mercosul continuarão a insistir, de forma individual e coletiva, para que a Venezuela cumpra com os compromissos que assumiu, de forma livre e soberana, com a democracia como única forma de governo aceitável na região", diz o comunicado, divulgado neste sábado (12).

Nesta semana, Trump também subiu o tom contra a Coreia do Norte, e disse que os EUA responderiam "com fúria e fogo" caso o regime do ditador Kim Jong-un continuasse a ameaçar Washington com testes de mísseis.


Sábado, 12/8/2017 21:33.




publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br