Jornal Página 3

Nova febre entre crianças, brinquedo bate-bola pode superar spinner

TATIANA CAVALCANTI
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Manobras diversificadas e luzes coloridas têm atraído crianças de todas as idades para a novidade do momento, um brinquedo chamado thumb chucks, ou bate-bola, que promete substituir a febre do spinner.

O brinquedo é simples: duas bolinhas ligadas a um cordão. O desafio é controlar a manobra, seja com as mãos ou com os pés, com sol ou mesmo no escuro (parte dos brinquedos brilha). Criar novas manobras também aguça a criatividade. Já tem até youtuber ensinando as manobras, com vídeos na internet.

O thumb chucks lembra bastante um brinquedo bem mais antigo, chamado bat bag, ou bolimbolacho (este, porém, tem uma argola na metade dos cordões para segurar e fazer as manobras).

Um grupo de alunos do 5º ano de um colégio particular da Vila Mariana (zona sul de São Paulo) costuma fazer manobras nos intervalos de aula e mesmo fora da escola. "Meu filho viu esse 'trem' na escola e adorou. Me deixou louca até eu comprar para ele. Eles brincam em grupos e se divertem", diz Tatiana Piva, 41 anos, mãe de Matteo, 10 anos.

DESAFIOS

Matteo conta que aprendeu algumas manobras assistindo a vídeos no YouTube. "É bem legal porque aprendemos coisas novas e que deixam a brincadeira mais desafiadora. Mas gosto também por causa das luzes." A colega de escola Giulia Palladino Vicola, 11 anos, diz que pediu a uma tia para comprar o brinquedo, após ver propaganda na TV. "Todo mundo na escola quer um."

A estudante Maria Fernanda Basile, 10 anos, destaca que é possível brincar de duas formas, sozinho e em dupla. "Fazemos uma espécie de queimada, um vai jogando no outro. Não machuca, ainda bem", diz.

Outro adepto da nova moda é Ícaro Ilustre, que gosta de jogar o brinquedo na parede. "É legal porque ele quica e volta para você. Gosto bastante porque esse brinquedo tira meu estresse", conclui o estudante. O grupo não dispensa a brincadeira nem no dia da catequese. "Levamos a todos os lugares", afirma Giulia.

LOJISTAS

De olho nas vendas de Natal, comerciantes da rua 25 de Março (região central) afirmam que o bate-bola vai ser "o brinquedo do momento" e que a procura por ele aumentou há um mês, após o Dia da Criança. "Vai ter muita criança ganhando esse presente no Natal", afirma a vendedora Maria Clara Viera, 27 anos. Apesar disso, a venda do thumb chucks ainda é tímida naquela via e não há muitas ofertas explícitas.

A reportagem encontrou preços que iam de R$ 8 por um brinquedo ou dois por R$ 15, dentro da caixa. Quem comprasse três conseguia pagar R$ 20 no total. No fim da rua de comércio popular, uma das lojas vende cinco, em embalagem plástica, por R$ 10.

O produto está esgotado na loja virtual da Ri Happy, empresa que começou a vender o brinquedo por R$ 39,90. Os vendedores chamam o thumb chucks de "novo hand spinner". "Vai ser a nova febre", diz um dos vendedores na região da 25 de Março, Jonas Silva, 33.

'NÃO LARGA MAIS'

A febre do bate-bola também chegou a crianças mais novas. A brincadeira pode consistir apenas em bater uma bolinha contra a outra, por falta de habilidades mais desenvolvidas, por conta da pouca idade.

A dona de casa Michelle Fernandes, 31 anos, afirma que o filho Francisco Fernandes Durso, que tem três anos, pediu o brinquedo para o último Dia da Criança, depois de ter visto uma propaganda na televisão. "Compramos um brinquedo que era bem mais caro. Aí, na promoção, se pagássemos mais R$ 10, viria com o thumb chucks. Ele adorou o brinquedo mais simples e não larga mais", diz a mãe.

Michelle conta que Francisco roda com o brinquedo na mão. "É o tempo todo assim, ele adora", afirma a mãe, que comprou na cor azul. "Ele gosta bastante da luzinha que acende." Ela considera que o brinquedo é seguro porque a corda é pequena. "Tive essa preocupação, mas passou quando vi brincando. Acho que é seguro." 


Segunda, 13/11/2017 14:25.
Publicidade


Cidade

É resultado de desrespeito e incapacidade administrativa. Escola é a única que oferece ensino integral para educação fundamental.


Empregos

Com terceirização os 157 contratados poderão ser mantidos no emprego. Veja as vagas disponíveis.


Geral

Devido serviço de manutenção na ETA


Cidade

Navio já chegou com passageiros de 14 nacionalidades e 1.283 tripulantes 


Mundo/Internacional


Publicidade

Projetos têm nomes de árvores nativas e podem ser adequados ao gosto dos clientes


Publicidade