Jornal Página 3

Comerciante é acusado de molestar crianças em Balneário Camboriú

Segunda, 18/12/2017 15:02.

A reportagem do Página 3 foi procurada por moradores que relataram supostos abusos sexuais cometidos por um comerciante em Balneário Camboriú.

Crianças eram o alvo de M.V. (o nome do acusado não será divulgado por este jornal até que ele seja levado à justiça), dono de um mercadinho no Iate Clube. Segundo as denúncias, ele teria molestado pelo menos oito crianças nos últimos anos.

Os casos começaram a vir à tona nas últimas semanas. Depois que uma criança de 10 anos contou, a amiga tomou coragem e revelou situação semelhante.

A preocupação dos pais é que os abusos voltem a acontecer, caso o homem não seja preso, porque ele já foi denunciado no passado por situações parecidas e teria ficado longe do mercado por algum tempo.

Os casos

A reportagem conversou com os pais de três vítimas. No boletim de ocorrência registrado por uma das famílias consta que M.V. teria chamado a menina de 10 anos para uma área do mercado e colocado a mão dela no pênis dele. A menina conseguiu sair correndo.

Os demais relatos são mais antigos, mas semelhantes. Num dos casos, o comerciante teria forçado o pênis contra o ânus de um menino que na época tinha 8 anos (hoje tem 14). A criança conseguiu fugir, entretanto a família ficou com vergonha e medo de denunciar e deixou o bairro.

O Página 3 conversou com o pai de outra vítima, na época do suposto abuso com 10 anos. “Ele age da mesma forma, as crianças perguntam onde é que tem tal coisa e ele leva para os fundos do mercado”, relatou o pai.

As denúncias dão conta ainda que M.V. mostrava o pênis e tentava colocar a mão dentro da calcinha das meninas.

Outra mãe contou que a filha foi molestada há 10 anos. “Um dia reparei que a minha filha tirou a bermuda e colocou uma saia sem calcinha.

Perguntei pra ela porque ela fez isso, ela disse que seu M.V. disse que era pra ela ir de saia sem calcinha, ao contrário ele não venderia bala pra ela”, afirmou.

Na época foi registrado boletim de ocorrência na delegacia especializada.

Repercussão

As famílias estão denunciando com medo que o acusado volte a agir. A principal preocupação é que o mercado funciona perto de um colégio.

O último boletim de ocorrência foi postado por uma página do bairro e mais de 100 pessoas já compartilharam. Há comentários reforçando o coro de denúncias.

O que diz a Polícia Civil

Foi instaurado inquérito e estão sendo ouvidas diversas testemunhas inclusive da escola. O acusado teria "passado a mão" em duas criancas de 7 e 10 anos. Ele fugiu da região, mas os advogados dele entraram em contato com o delegado Eliomar Beber, que conduz o inquérito, e afirmaram que irão apresentá-lo para depoimento assim que o delegado requisitar.

Importante destacar que por volta de 2008 esse mesmo indivíduo respondeu processo por um caso semelhante. O delegado Beber pediu ao Tribunal de Justiça o desarquivamento do caso para juntar os autos a este caso de agora.


Publicidade


Colunistas
por Augusto Cesar Diegoli
por Enéas Athanázio
por João José Leal
por Fernando Baumann
por Marlise Schneider
por Sonia Tetto
por Saint Clair Nickelle
Cidade

Meta é 100% de cobertura de água e esgoto ainda neste ano 


Geral

Foco é a auditoria realizada em 2016 durante o governo Edson Piriquito 


Cidade


Cidade

Anunciado estado de emergência não foi decretado  


Opinião

Artigo de opinião


Cultura

Dica de passeio cultural de verão


Cidade

O serviço não tem ônus adicional, é programado e deve ser agendado por telefone