Jornal Página 3

Gaddafi deu US$ 1 milhão para campanha de Lula em 2002, diz revista
Arquivo JP3.
Muammar Gaddafi.
Muammar Gaddafi.

Sexta, 8/12/2017 17:03.

(FOLHAPRESS) - Em proposta de delação premiada entregue ao Ministério Público, o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci teria revelado que o ditador líbio Muammar Gaddafi doou secretamente US$ 1 milhão para a campanha presidencial de Lula em 2002. A informação é da revista "Veja".

Na suposta delação, Palocci assumiria que ele próprio seria responsável por trazer o dinheiro ao Brasil, sem deixar rastros de sua origem.

Segundo a revista, ele diz ter realizado a tarefa e promete entregar os comprovantes da operação.

Lula venceu a disputa no segundo turno, contra José Serra (PSDB). Kadafi morreu em 2011, durante uma troca de tiros entre rebeldes e seus apoiadores.

O ex-ministro teria se comprometido a revelar todos os detalhes do caso, como de que maneira o dinheiro foi gasto, se o acordo de fato for assinado com o Ministério Público.

A legislação eleitoral brasileira proíbe o recebimento de recursos financeiros de procedência estrangeira. Partidos podem ter seus registros cancelados se a prática for comprovada.

Palocci foi condenado a 12 anos de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção passiva em junho deste ano. Ele negocia um acordo de delação premiada para reduzir sua pena.

Em depoimento ao juiz Sergio Moro em setembro, disse que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva avalizou um "pacto de sangue" no qual a Odebrecht se comprometeu a pagar R$ 300 milhões em propinas ao PT entre o final do governo Lula e os primeiros anos do governo Dilma.

No mesmo mês, em carta enviada ao PT, pediu sua desfiliação do partido e afirmou que Lula sucumbiu "ao pior da política".

O Instituto Lula informou que não comentaria o assunto. 


Publicidade


Colunistas
por Augusto Cesar Diegoli
por Enéas Athanázio
por João José Leal
por Fernando Baumann
por Marlise Schneider
por Sonia Tetto
por Saint Clair Nickelle
Cidade

Meta é 100% de cobertura de água e esgoto ainda neste ano 


Geral

Foco é a auditoria realizada em 2016 durante o governo Edson Piriquito 


Cidade


Cidade

Anunciado estado de emergência não foi decretado  


Opinião

Artigo de opinião


Cultura

Dica de passeio cultural de verão


Cidade

O serviço não tem ônus adicional, é programado e deve ser agendado por telefone