Jornal Página 3

PF cumpre mandado em BC contra quadrilha do golpe do Seguro Desemprego

Mais uma ação da Polícia Federal aconteceu em Balneário Camboriú. Na manhã de ontem (18) foi deflagrada a Operação Stellio, em parceria com o Ministério do Trabalho, a fim de desarticular uma organização criminosa especializada em fraudes contra o programa de Seguro Desemprego e o FGTS, que atuava em diversos estados. Houve uma busca e apreensão em um apartamento em Balneário.

Segundo informações da Polícia Federal, os criminosos inseriam requerimentos fraudulentos em unidades do Sistema Nacional de Empregos (SINE) por agentes credenciados, e em escritórios montados pela organização, mediante a utilização das senhas desses agentes que eram comparsas dos criminosos.

A investigação apurou que com a ação criminosa a quadrilha levantou cerca de R$ 320 milhões – isso somente entre janeiro de 2014 e junho de 2015. A operação faz referência ao nome em latim stellionatu (estelionato, fraude), que veio de stellio, um tipo de camaleão que tem a pele com manchas que parecem estrelas. Stellio ganhou o sentido de trapaceiro, pela capacidade do animal de mudar a cor da pele para se confundir com o ambiente.

Cerca de 250 policiais federais cumpriram 136 mandados judiciais em Tocantins, Goiás, Pará, Maranhão, Roraima, Paraná e Santa Catarina. Ao todo foram cumpridos 56 mandados de busca e apreensão, 10 mandados de condução coercitiva, nove prisões preventivas e 61 prisões temporárias.

Em Santa Catarina, o único mandado de busca e apreensão foi em Balneário, em um apartamento na Rua 1.401, no Centro da cidade. O imóvel seria utilizado por dois irmãos. Vale destacar que ambos estão entre os principais envolvidos com a quadrilha.

Em Palmas/TO, a Justiça Federal ordenou a prisão de 14 agentes e ex-agentes do SINE de Tocantins, Goiás e Maranhão. Também foi determinada a prisão de três ex-funcionários da Caixa que facilitavam os saques dos benefícios fraudulentos por integrantes da organização criminosa.

Além disso, a Justiça determinou a indisponibilidade financeira de 96 pessoas integrantes da organização criminosa, visando ressarcir os prejuízos causados.

Os membros da quadrilha respondem por estelionato, organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção ativa e passiva, cujas penas somadas ultrapassam 50 anos de prisão.


Sexta, 19/5/2017 9:33.
Publicidade


Cidade

É resultado de desrespeito e incapacidade administrativa. Escola é a única que oferece ensino integral para educação fundamental.


Empregos

Com terceirização os 157 contratados poderão ser mantidos no emprego. Veja as vagas disponíveis.


Geral

Devido serviço de manutenção na ETA


Cidade

Navio já chegou com passageiros de 14 nacionalidades e 1.283 tripulantes 


Mundo/Internacional


Publicidade

Projetos têm nomes de árvores nativas e podem ser adequados ao gosto dos clientes


Publicidade